Em disputa de pênaltis, VINGOU!!

Este pós jogo vai ser diferente! Acredito que todos vocês assistiram ao jogo e, ao invés de só fazer análise da partida em si, vou falar sobre o que envolveu essa final, sobre o significado desse título e tudo mais.

Foto : Cristiane Mattos/ FMF

A final já estava definida antes da última rodada. Os dois times haviam, inclusive, poupado atletas no último confronto de cada um. Seria a primeira vez que a disputa de título ficaria entre os dois clubes. Cruzeiro, atual campeão, Galo o maior campeão.

Tudo isso já era o suficiente para uma final incrível. Adicionaram o Mineirão e a transmissão em Tv aberta para todo o Brasil! A final foi o que se esperava que fosse: GIGANTE!

Foto : Cristiane Mattos/ FMF

Na escalação, uma surpresa: Flávia Gil de fora por ter o último teste de Covid positivado. Na frente, Gabizinha entrou de titular, como já era esperado. O Galo conseguiu, durante o primeiro tempo, manter o equilíbrio da partida, segurando os ataques adversários e criando oportunidades em velocidade, aproveitando a característica de Joyce e Gabizinha!

E foi aos 31 minutos que abrimos o placar, com um belo gol por cobertura da Gabizinha. Tudo parecia que ia bem, mas aos 45 minutos da primeira etapa, após um erro no meio de campo das vingadoras, o Cruzeiro fez e levou o empate para o intervalo. Segundo o técnico Hoffmann “tomamos o primeiro gol por querer jogar demais”. E foi isso. Ao sair jogando, um toque de bola errado foi a deixa para a equipe celeste.

Foto: Bruno Cantini / Atlético

As vingadoras sentiram o golpe e ficaram quase todo o segundo tempo sem forças, com muita dificuldade para encaixar o jogo e falhando na marcação Foi a vez do Cruzeiro marcar por cobertura e virar a partida. As vingadoras, já mexidas pelo técnico, pressionaram e em uma batida de escanteio já nos acréscimos, balançaram a rede! O gol foi anulado duvidosamente porque a arbitragem entendeu que a bola havia saído.

E nossa redenção veio da base!! Marcella, que havia entrado durante o segundo tempo chutou de fora da área e empatou aos 52 minutos do segundo tempo! Dizem que se não é sofrido não é Galo! Então fomos para a disputa de pênaltis.

Joyce foi a primeira a bater, com sucesso. Amanda pegou a primeira batida do Cruzeiro. Tati, Ilana e Karol também converteram, mas as atletas do Cruzeiro marcavam também, mesmo Amanda acertando os lados dos chutes. Dani fez a última cobrança, marcou e definiu o título para as vingadoras!

Foto: Fábio Xavier

Gabizinha, que ganhou o prêmio do Mineirão de melhor em campo falou sobre a conquista:

A gente trabalhou muito por isso. Acertou o que tinha para acertar. O que a gente errou no Brasileiro, conseguimos acertar agora no Mineiro. [o título] É fruto do nosso trabalho. A gente vem trabalhando pra isso. E não seria diferente hoje a vitória!

Foto: Bruno Cantini / Atlético

As vingadoras não conseguiram a classificação no Brasileiro, mas mostraram um trabalho incrível e uma evolução visível ao longo dos jogos. Com muito entrosamento e qualidades individuais que a cada dia mais se mostravam, a equipe conquista o título com muita luta e muito trabalho. A analista de desempenho, Evelyn falou sobre o ano atípico

É muito legal porque a gente não imaginava que iriam acontecer tantas coisas em um ano tão conturbado e graças a Deus as coisas foram caminhando, nós fomos evoluindo. Não foi algo que surgiu do nada, foi muito trabalho, muita dedicação e no final vieram com a cereja no bolo para abrilhantar tudo isso e coroar o que no começo foi difícil e agora a gente só está comemorando.

O Galo aumenta sua vantagem no número de títulos estaduais. Esse foi o 11º conquistado, o 1º em disputa com apenas times profissionais! Com muita mudança em um projeto que se iniciou ano passado e passou por um desmanche na mudança de ano, Nina Abreu, coordenadora da equipe, fala sobre resultados do trabalho feito:

“Isso aqui é justiça, é colheita. O que não é meu eu não quero, mas o que é meu, com justiça, não vou abri mão!”

Foto: Fábio Xavier

As vingadoras vingaram, conquistaram o título invictas e agora é só comemorar!

O Galo jogou com:

Amanda, Lorranny (Isabella), Tati, Karol, Ilana, Bruna (Marcella), Nathália (Gabi Jesus), Pissaia (Manu), Guedes (Lorena), Joyce, Gabizinha (Dani)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s