De cabeça erguida

Não deu pra trazer o troféu! Depois de mais um empate sem gols, as vingadoras perderam o título do Campeonato Brasileiro A2 2021 na disputa de pênaltis contra o Red Bull Bragantino, no Independência, nesse feriado de 7 de setembro. 

Foto: Fábio Xavier/Onze Minas

Uma grande novidade da partida foi a entrada de Sofia Sena como titular e como atacante. Ela, que jogou pouco durante o campeonato, sempre atuou como volante. Na coletiva de imprensa dada à TV Galo depois do jogo, o treinador Hoffmann Túlio explicou que Sofia foi contratada tendo em vista seu potencial de jogadora de centro, que atua com profundidade. 

Além disso, Nadine e Marques estavam lesionadas e não poderiam entrar. E, de fato, Sofia jogou bem em boa parte do primeiro tempo. Falando em lesões, o treinador também revelou que a capitã Ilana jogou a temporada inteira sofrendo de pubalgia, e que ela não jogará mais esse ano. Perderá, portanto, o Campeonato Mineiro, que inicia no dia 25.

Vice-campeonato por detalhes

Assim como na disputa em Bragança Paulista, o Galo dominou as adversárias no início do jogo. A Massa Bruta conseguiu equilibrar melhor a disputa depois da parada técnica para hidratação aos 27 minutos da primeira etapa, mas nós nos mantivemos atacando no campo das paulistas.

A segunda partida da final contou com menos chances de gol do que o jogo de ida, com ambos times tendo dificuldade para chegar na área e finalizar. Principalmente no segundo tempo, vimos muitas tentativas de longe, que foram facilmente defendidas. Mas teve até um gol anulado do Galo, fruto de um lançamento que teria ido por fora.

Na disputa de pênaltis, perdemos logo a primeira cobrança: a bola de Ilana foi defendida pela goleira Karol Alves. Amanda também defendeu o seu, mas o erro de Flávia Gil na última batida, que acertou o travessão, encerrou a disputa. As vingadoras são vice-campeãs invictas da série A2.

A maldição dos pênaltis

Dos cinco pênaltis sofridos durante o campeonato, o Galo converteu apenas um: contra o Mixto, na fase de grupos, no Sesc Venda Nova. Flávia Gil havia acabado de voltar de uma lesão e deixou o seu nas redes. Mas a vida acontece, e no futuro a defensora acabaria perdendo os dois pênaltis mais importantes da temporada.

Foto: Fábio Xavier/Onze Minas

Foi ela que desperdiçou a cobrança na primeira partida da final, em Bragança Paulista. Já na decisão no Independência, a cobrança que a zagueira perdeu deu o título ao Red Bull Bragantino. Quem acompanhou a temporada, porém, sabe que Flavinha não pode ser definida por esses momentos. Uma das jogadoras de maior destaque no time, compôs uma zaga de alto nível ao lado de Cotrim. A jogadora de 33 anos é vitoriosa, campeã brasileira com o Flamengo em 2016 e fonte de inspiração para as companheiras de equipe.

As demais atletas a perderem pênaltis no Brasileiro desse ano foram Aline Guedes, Flávia Pissaia e Bruna Cotrim. Questionamos o Hoffmann sobre esse ponto fraco do time, no que ele respondeu que “só Deus sabe explicar”. Força divina ou falta de treinamento direcionado? Só o treinador sabe.

O Galo jogou com:

Amanda, Sofia Sena (Aline Guedes), Ilana, Leila (Jaque), Cotrim, Aninha (Flávia Pissaia), Flávia Gil, Marta (Bruna Emília), Soraya, Iara (Cinthia) e Dayana.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s